GASTRONOMIA

O QUE SE COME EM PORTUGAL

 O que se come em Portugal

GASTRONOMIA

23/01/2018 None
Você que está chegando para viver ou mesmo em férias conheça um pouco das comidinhas típicas portuguesas.

A gastronomia portuguesa é muito rica e diversificada, mas isso você já deve ter ouvido falar ou já teve a oportunidade de provar, através de alguém da família, amigos ou vizinhos, até porque - quem é que não teve ou tem, desde a infância, no Brasil, um contato direto com a tradição portuguesa, não é mesmo?

Com toda variedade de ingredientes, aliadas aos excelentes vinhos, azeites de oliva e azeitonas - fazem com que, na terra de Fenando Pessoa, cozinhar também seja pura poesia. 

Você vai perceber, seja nos restaurantes ou nas casas portuguesas, que são raros os pratos que misturam carboidratos. Aqui consome-se muito peixes, legumes, azeites e frutos do mar, seguindo uma dieta mediterranea.

A começar pelo Caldo Verde que é, sem dúvida, a sopa mais famosa em todo país, embora típica do norte. É uma sopa espessa feita com couve galega cortada às tiras bastante finas. É servida, normalmente, em tigelas de barro, acompanhada com uma fatia de broa de milho, rodelas de chouriço e regada com um fio de azeite. 

O principal peixe de Portugal é a tradicional e saborosa Sardinha. Nas festas de São João e de Santo Antônio, em junho, elas são prensença obrigatória e são feitas assadas na grelha e servidas com batatas cozidas e pimentos verdes assados.

O Bacalhau, embora pescado nos mares gelados da Noruega, é comida típica de Portugal e o peixe mais consumido no país, pois além de saboroso é muito saudável. Dizem, por cá, e eu acredito, que existem 365 maneiras de preparar um prato de bacalhau. A maneira tradicional servida no Natal é às postas, com batatas, cebolas e couve tudo cozido na mesma água.  

As receitas diárias mais comuns do bacalhau são à Gomes de Sá, à Brás, com Natas, assado com batatas, frito - entre outras. O meu preferido é o bacalhau a lagareiro (no forno) com batatas a murro e muito azeite. Um detalhe que vale lembrar é que o peixe em Portugal é bem mais barato do que a carne de gado. 

Quanto aos Pastéis de bacalhau, no centro e sul de Portugal são conhecidos por esse nome e, no norte, por Bolinhos de bacalhau. Em alguns lugares são crocantes por fora e macios por dentro. Diferente do Brasil, o bolinhos de bacalhau nem sempre são fritos na hora, ficam no expositor e se o cliente quiser aquecido tem de solicitar. Só em alguns lugares são servidos fresquimhos e quentinhos.

Feijoada à Portuguesa - dependendo da região, é utilizado o feijão branco ou encarnado (vermelho), e leva orelha de porco, chispe (pé) de porco, pernil de porco, entrecosto, cebolas médias, cravinhos, alho, cenoura, chouriço de carne, chouriço de sangue, couve portuguesa, azeite, vinho branco, sal, pimenta e cominhos em pó. É uma comida forte e servida, como a feijoada brasileira, na hora do almoço.

Alheira é um enchido (como se fosse uma linguiça), é defumada e pode ser feita com carnes de caça, porco ou aves. Pode ser frita, assada ou então envolvida em massa folhada.

Arroz de pato é feito com carne de pato que vai ao forno e é servido com chouriços por cima. É um prato saboroso e muito comum nos restaurantes portugueses.

Arroz de tomate é quase um risoto - mais uma comida típica de Portugal, trata-se de um arroz com molho de tomate e é servido como acompanhamento para carnes e peixes.

Arroz de feijão é o arroz já misturado com o feijão e é servido como acompanhamento de carnes e peixes.

Francesinha  é uma comida típica do Porto e é feita com pão, bife, bacon, queijo, chouriço, ovo, fiambre e  um molho com vinho do Porto, tomate e pimenta pipi-piri. Dizem que o segredo da Francesinha está no molho. É servida com batatas fritas.

Cozido à Portuguesa  é prato tradicional português que leva feijão, batata,  cenoura, carne de porco, boi, frango, couve, nabo, chouriço e morcela. É mais um prato forte e sugerido para consumir no almoço.

Queijo Serra da Estrela  considerado uma das 7 Maravilhas da gastronomia portuguesa, este queijo é cremoso por dentro e é o mais antigo do país. 

Broa trata-se de um pão de milho e centeio. Normalmente é servido como entrada das refeições ou então pode ir ralado em cima de peixes como o bacalhau.

E para fehar essas dicas nada melhor do que os Pastéis de Belém - ops! de Natas. Enfim, o mascote conhecido além-mar, como pastéis de belém, mas que em Portugal encontra-se em toda pastelaria e cafeteria como pastéis de natas. Há quem diga que são todos iguais, eu discordo! Nada se compara com os acabadinhos de sair do forno, quentinhos e direto para a mesa, como acontece em Belém e, por isso, chamados Pastéis de Belém, onde turistas de todo o mundo fazem filas para experimentar.

Já existem, no entanto, outras casas que valorizam esse gosto pelo pastel de nata servido fresquinho, como os brasileiro apreciam, a Fábrica das Natas, com dois endereços em Lisboa - um deles na Praça dos Restauradores, além da unidade no Porto. Outra casa no norte é a Casa das Nastas, localizada em Braga - também faz sucesso com essas delícias.

É claro que não é só de pastéis de nata que a carta de sobremesa vive, há uma variedade enorme de doces típicos e vamos falar de todos - um a um, aguarde. Enquanto isso, seja muito bem vindo e bom apetite!

 

 

 




SOBRE

Andrea Duarte
Andrea Duarte

Jornalista há 20 anos, no início da carreira foi repórter noticiarista no SBT (Sistema Brasileiro de Televisão), em seguida trabalhou na Assessoria de Imprensa na Assembleia Legislativa do Estado de SP  e na Câmara dos Deputados, em Brasília.
Acumulou funções como editora/apresentadora e correspondente internacional.
Luso-brasileira (paulistana), vive em Lisboa há dez anos. Desenvolve projetos na área de Comunicação, produz reportagens, é editora do Jornal Vidas Lá Fora (impresso e digital), mantem um público ativo com 17 mil seguidores no Instagram @eu_andreaduarte, onde partilha momentos, lugares e os principais acontecimentos luso-brasileiros. Em 2017 fundou a AMEE - Associação das Mulheres Empreendedoras no Exterior com 600 participantes. São vinte anos a serviço da informação e conectando pessoas. 



​* Bacharel em Comunicação Social (FIAM), Pós-Graduada em Administração e Marketing pela (FMU) e Mestre em Ciência da Comunicação pela Universidade Lusófona, em Lisboa.

@eu_andreaduarte

dreaduarte@gmail.com


1 COMENTÁRIO

  • José Brás

    30/01/2018

    Meu deus! ...e um Alimado de Cação? e um Ensopado de Borrego? e a versão alentejana do Cozido à Portuguesa? e os doces conventuais, a Enxarcada, o Pão de Rala, a Cericaia com ameixa de Elvas? Contudo...nunca comi nada melhor do que a Sopa Leão Veloso, na Rua do Ouvidor ou aquele camarão na abóbora no Yemanjá em Salvador, seguido de uma Baba de Moça.


DEIXE SEU COMENTÁRIO